6 de janeiro de 2015

Michelberger Hotel

Quando quis fazer uma surpresa ao R*, Berlim foi a escolha óbvia, já que ele dizia há muito tempo que gostava de lá ir. Comprei as viagens com antecedência e comecei a pesquisar hotéis. Berlim tem uma enorme diversidade de óptimos hotéis a preços muito razoáveis.

A certa altura, a minha lista reduziu-se a dois hotéis: um bonito, moderno e bem localizado ou o Michelberger Hotel, com um certo ar alternativo e doido, situado numa zona menos óbvia, mas muito criativo - pelo que eu percebia no site.

Após muitas hesitações, decidi arriscar e marquei mesmo no Michelberger. Foi a melhor coisa que fiz porque, simplesmente, adorei o hotel!





O nosso quarto, inteiramente pintado de verde, com cortinas amarelas (!!), era do mais confortável possível. A casa-de-banho era enorme e muito funcional. Do quarto, via-se o pátio interior do hotel onde, nesses dias, tinha sido instalada uma fogueira, dezenas de pinheiros naturais e uma casinha de madeira onde podíamos ir buscar Gluhwein (vinho quente com canela, que eu adorei e o R* detestou).





Ao lado da recepção havia uma sala de estar toda forrada de livros - colocados dentro de estruturas de metal e madeira, com sofás baixinhos e um piano. À noite - todas as noites que lá estivemos - essa sala era um verdadeiro bar, com DJ e dezenas de pessoas. Esta sala também tem sido palco de concertos de artistas mais ou menos conhecidos (o Damien Rice, por exemplo, já lá tocou).
Um aspecto engraçado do hotel: na televisão dos quartos há um menu com 4 opções. No primeiro canal passa, em loop, o The Big Lebowski; no segundo, os concertos que decorreram no hotel; no terceiro, passam sucessivamente vários documentários e curtas-metragens. A quarta opção ('don't bother') encaminha para os canais normais de televisão.
Enfim, percebem o espírito, não é?
Finalmente, o restaurante do hotel também merece algum destaque porque, para além de ser  extremamente acolhedor e de estar muito bem decorado (arranjos de flores muito simples e uma vela em cada recanto), serve uma óptima comida orgânica. O pequeno-almoço, por exemplo, tinha vários tipos de pão de sementes, dois tipos de iogurte caseiro, várias compotas de fruta, bacon, batatas e legumes assados, ovos cozinhados de diferentes formas, dois bolos secos e, finalmente, o. melhor. chocolate. quente. da. minha. vida.

Sem comentários:

Enviar um comentário

 
Its Monday But Its Ok! © 2013.

Design by The Blog Boat